marmita esperta

Coma bem em qualquer lugar! 

beluga

Esses anos de faculdade em Munique foram os anos da marmita. Adoro! Bom, eu chamo de marmita, mas não é prato digno de valer por uma bóia-fria não. Percebi que consigo trabalhar melhor quando o almoço é algo leve, por isso as minhas marmitas sempre ficam mais com cara de salada. Também nunca tive aquele aparelho para esquentar, então a marmita para mim é sempre fria. Nunca tive problema com isso, nem no maior inverno.

Marmita tem os seus benefícios. O primeiro de tudo é que você SABE o que está comendo. Acho que esses restaurantes de menu executivo ou buffet por quilo colocam muitos temperos industrializados na comida, o que deixa aquele gosto na boca e uma sensação de cansaço no corpo… Fora que se você comer marmita durante a semana, economiza o dinheiro para gastar num restaurante especial no fim de semana, com todo o tempo do mundo! Você vai curtir bem mais! Mas não sou nada fã de comer a marmita no escritório! Never ever! Encontre alguma praça onde você possa comer tranquila, e se ela estiver meio longe, melhor ainda! O importante é SAIR para respirar ar fresco, jamais coma na mesa do trabalho!

O tempo não é uma desculpa! Eu acordo cedo, treino, faço café da manhã e ainda preparo a marmita. E chego no trabalho Às 08:30, de ônibus! Sim, é possível! O segredo para isso é: fim de semana! Se prepare, planeje, faça as compras, lave a salada, etc. E seja criativa!! Espero que esse post ajude a te inspirar!

Aqui vão algumas lições básicas / a arquitetura da marmita:

– Como é uma refeição “de um prato só”, é muito importante conseguir um bom leque de texturas, sabores e tipos de alimento. Da listinha abaixo, pegaria no mínimo 3 itens para montar a marmita.

// NEUTRO: folhas verdes sempre dão certo. Espinafre baby e alface americana são bons para marmitas pois não murcham. Sempre rasgue as folhas grandes com as mãos. Se usar a faca ficarão marrons;
// MASTIGÁVEL: vegetal ralado ou em lâminas como beterraba, cenoura, abobrinha crua (siiiim é uma delicia), rabanete, bulbo de erva-doce (super perfumado, amo), etc., enfim, aquela coisa “to chew on”;
// SUCULENTO: tomate, pepino… Retire as sementes pra não ficar com a marmita encharcada;
// CROCANTE: nozes ou sementes torradas;
// CONSTRASTE: que tal uma fruta pra dar um up? Abacate, manga, maçã, romã e uvas sem caroço dão super certo. Experimente!
// UP: coloque alguma erva fresca. Muita gente não dá muita atenção à elas na hora da marmita, mas fazem toda a diferença: hortelã, coentro, salsa, manjericão, orégano…

e esses itens aqui são “obrigatórios”:
// PROTEÍNA: tirinhas de frango ou carne grelhadas, lentilhas ou favas (sem o caldo), grão de bico, atum em lata, queijo mozzarella em bolinhas, ovo cozido…
// CARBOIDRATO: cous-cous, arroz integral, cevadinha, ou simplesmente um bom pão para acompanhar.

– O molho é importante e tem que ir num vidrinho separado. Normalmente uso aqueles vidrinhos minis de geléia, sabe? Pode ser o clássico vinagre-azeite-sal-pimenta, mas é legal dar uma incrementada. Ultimamente tenho adicionado uma colherzinha de Za’atar, um tempero muito bom! Dá pra encontrar em lojas libanesas. É uma mistura de várias ervas e especiarias, mas acho que no gosto predominam tomilho, gergelim e cominho. Muito bom! Outro incremento bacana quando usar beterraba e/ou grão de bico é colocar uma colherzinha de tahine no molho – vai muito bem. Fica a dica!

valira nomadcolher-garfo– Tenha um bom Tupperware que feche nas quatro laterais e talheres de plástico. Ganhei essa lancheira (nomad, da marca valira) de presente de aniversário e recomendo muito pra quem costuma comer marmita “on a daily basis”. E essa colher-garfo (spoon + fork = spork) também é ótima. Tem uma marca brasileira fazendo muito sucesso com lancheiras, que é a Paccoby, achei as lancheiras deles super decentes. E a loja Bentostore também tem uma mega seleção!

A foto do post é de uma marmita dessas que gostei muito. Na verdade não é uma receita-receita, pois é uma coisa avulsa, misturada espontaneamente numa manhã qualquer antes de ir pra faculdade. E a foto nem está bonita… Mas é só pra exemplificar o conceito descrito acima.

A lentilha beluga é pretinha e pequena, com um sabor de nozes e textura firminha. Não precisa deixar de molho para cozinhar. Super prática! Faço uma porção generosa no fim de semana e só tempero com sal e azeite. Assim ela dura mais tempo na geladeira e posso usá-la nas marmitas da semana.

Ingredientes

meia xícara de lentilhas beluga cozidas
abobrinha ralada grossa (crua mesmo, a textura é muito gostosa)
um pouco de abacate (exprema um pouco de limão por cima na hora de cortar em lâminas)
folhas de alface
folhas de coentro e salsinha
sementes de girassol tostadas
pão para acompanhar

molho: limão + azeite + sal + pimenta + za’atar

.

– Viva a gororoba! –
(lentilha beluga, abobrinha, abacate, alface, coentro, salsinha, semente de girassol)

Marmita

bem você

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s